16 Iluminações de Natal Imperdíveis em Tóquio

Iluminações de Natal em Tóquio: Confira os principais eventos

Tóquio tem com certeza algumas das iluminações de inverno mais bonitas do mundo. A atmosfera que envolve a grande metrópole, o clima frio, bem propício para essa época do ano, entre outros fatores, favorecem ainda mais a beleza dessas instalações natalinas incrivelmente iluminadas. Se você estiver aos arredores de Tóquio, não deixe de conferir esses locais de pertinho.

1. Starlight Garden – Tokyo Midtown – Até 25 de dezembro de 2018

A iluminação do Tokyo Midtown é particularmente famosa por causa do ‘Starlight Garden’. São 180.000 luzes LED azuis sobre o Midtown Garden, criando uma atmosfera mágica e espetacular. O tema deste ano chama-se “Shabontama”. Um verdadeiro espetáculo de luzes não é mesmo?

Como chegar: Estação de Roppongi (linha Oedo), saída 8; (Hibiya Line), a saída 8 via passagem subterrânea perto da 4a saída; Estação Nogizaka (linha Chiyoda), saída 3.
Website: http://www.tokyo-midtown.com/jp/xmas/

2. Caretta Illumination – Até 14 de fevereiro de 2019

O complexo de compras Shiodome é um dos locais mais visitados pelos turistas e nesta época do ano, todos tem a oportunidade de passar por uma verdadeira imersão de luz, o “Caretta Illumination”. São 270 mil luzes LED em uma apresentação audiovisual de seis minutos, que se repete a cada 20 minutos.

Como chegar: Estação Shiodome (Linha Oedo), as saídas 5 e 6.
Website: http://www.caretta.jp/

3. Tokyo Dome City Winter Illumination – Até 17 de fevereiro de 2019

A iluminação do Tokyo Dome City é sempre um espetáculo. Além de muitas árvores de natal com 7 metros de altura espalhadas pelo complexo, há várias instalações incluindo túneis com iluminação Led, projeções 3D, exposições, entre muitas outras atrações incríveis.

O tema deste ano é “estilo japonês”. Aproveite a bela cultura tradicional do Japão mesclada com uma incrível iluminação colorida e moderna.

Como chegar: Kasuga Station (Mita e Oedo lines), saída A1; Estação Korakuen (Marunouchi e Namboku Lines), saída 2; Estação de Akihabara (Chuo-Sobu line), saída oeste; (Linha Mita), saídas A3, A4, A5.
Website: http://www.tokyo-dome.co.jp/illumination/

4. Marunouchi Illumination – Até 17 de fevereiro de 2019

Iluminações de Natal em Tóquio

Naka-dori Street é uma das ruas mais populares de Marunouchi. Entre os meses de novembro e fevereiro, a rua ganha uma iluminação especial e elegante onde são utilizados cerca de um milhão de lâmpadas Led que tem a capacidade de consumir 30% menos energia que as lâmpadas convencionais.

Como chegar: A poucos passos da estação central de Tóquio.
Website: https://www.marunouchi.com/event/detail/14099/

5. Tokyo Michiterasu – 24 a 28 dezembro de 2018

Além das suas tradicionais Iluminações especiais ao longo do Gyoko-dori e Naka-dori, a estação de Tóquio vai ser palco de uma bela exibição de luzes led entre os dias 24 e 28 de dezembro.

Como chegar: Marunouchi e Tokyo Station
Website: http://www.tokyo-michiterasu.jp/

6. Tokyo Illumilia – Até 14 de fevereiro de 2019

Ligando o passado com o presente e o presente com o futuros, os distritos de Yaesu e Nihombashi criaram o “Gate of Light” em Sakura-dori Street. As instalações fazem uma fusão entre o antigo e o novo, incluindo padrões “Edo Kiriko cut glass” que remontam às artes tradicionais do período Edo.

Local: Sakura-dori Street, Yaesu Naka-dori Street
Website: https://www.enjoytokyo.jp/life/event/711450/

7. Keyakizaka Illumination – Até 25 de dezembro de 2018

As luzes azuis e brancas em torno do complexo Roppongi Hills já são bem conhecidas por turistas e moradores de Tóquio durante a época de natal. Um dos locais mais populares é o Keyakizaka Street que recebeu mais de 7 milhões de pessoas no ano passado.

A rua de 400 metros é cercada por árvores decoradas com aproximadamente 700.000 luzes LED. O tema da Iluminação deste ano é “SNOW & BLUE”, exibindo cores frias, com o Tokyo Tower ao fundo completando esse belo cenário.

Local: Estação de Roppongi (Hibiya Line), saída 1C; (Oedo Line), saída 3.
Website: http://www.roppongihills.com/sp/christmas/2018/

8. Starry Sky Illumination – Até 25 de dezembro de 2018

A combinação de luzes de Natal reais e virtuais, tornou-se uma realidade em Tokyo City Viewem Roppongi. Starry Sky Illumination é uma iluminação virtual projetada em uma das janelas do Mori Tower, um arranha-céus de 52 andares. Feito no computador, a iluminação retrata um céu estrelado e pode ser controlado pelos visitantes através de seus smartphones.

Local: Estação de Roppongi (Hibiya Line), saída 1C; (Oedo Line), saída 3.
Website: https://tcv.roppongihills.com/jp/exhibitions/1719/index.html

9. Yebisu Garden Place Christmas Illumination – Até 14 de janeiro de 2019

iluminação de natal no Yebisu Garden Place está show como sempre. São mais de 100.000 luzes LED na romântica cor champanhe dourada decorando todo o complexo de Yebisu Garden. Uma das atrações é um candelabro Baccarat gigante, com 5 metros de altura e 3 metros de largura, sendo considerado um dos maiores lustres do mundo.

O lustre é composto por 250 luzes, nos quais 230 simbolizam o número de anos desde que a empresa, decidiu construir o lustre pela primeira vez, em 1994.

https://www.youtube.com/watch?v=L7TtD-BQ_Aw

Local: Estação de Ebisu (linha Yamanote), saída leste; (Hibiya Line), Exit 1.
Website: https://gardenplace.jp/special/2018christmas/

10. Omotesando Illumination – Até 25 de dezembro de 2018

iluminação natalina de Omotesando é uma das mais populares de Tóquio. Neste ano, além de árvores de natal com 8 metros de altura, 500.000 luzes LEDs na cor dourada / champanhe envolvem as árvores Zelkova nos arredores de Jingumae e Omotesando, criando uma atmosfera sofisticadíssima.

Omotesando, é uma área comercial localizado próxima às áreas de Harajuku e Shibuya. Da estação de Omotesando até a estação de Harajuku, encontraremos ao longo do percurso de 1,1 km, duas pontes para pedestres que oferecem uma visão icônica da rua iluminada.

Local: Estação Omotesando (Chyoda line).
Website: http://omotesando.or.jp/illumi/

11. Tokyo Skytree Illumination – Até 25 de dezembro de 2018

A área ao redor da Tokyo Skytree, tais como a estação ferroviária Oshiage e o incrível complexo comercial Solamachi estão decoradas com centenas de milhares de LEDs. E toda essa magnífica decoração também pode ser observada do alto da torre Tokyo Sky Tree até o dia 25 de dezembro.

Local: Estação Oshiage (Hanzomon e Asakusa lines).
Website: http://dreamchristmas2018.jp/

12. Shinjuku Terrace City Illumination – Até 14 de fevereiro de 2019

iluminação do Shinjuku Terrace City está espetacular assim como nos anos anteriores. O tema deste ano é “estar conectado”: as árvores ao redor do terraço será iluminado com LEDs coloridos e equipados com sensores de toque que ativam uma mostra audiovisual especial.

Local: Estação de Shinjuku, saída sul.
Website: http://www.odakyu.jp/terrace-city/

13. Odaiba Illumination “YAKEI” – Durante todo o ano

Conhecido como a porta de entrada para a famosíssima Odaiba, este é o único ponto onde os visitantes podem ter uma visão panorâmica de toda a baía de Tóquio, incluindo a ponte Rainbow Bridge Tokyo Tower.

Local: Estação Odaiba Kaihin-Koen Station (Yurikamome line)
Website: http://www.odaiba-decks.com/news/event/yakei.html

14. Showa Kinen Winter Illumination – 2 a 25 dezembro de 2018

Iluminações de Natal - Winter Vista Illumination - Showa Kinen Koen

Showa Kinen Park apresenta uma iluminação diferente a cada ano. O evento, denominado como “Winter Vista Illumination” ocorre em toda a área ao redor de Tachikawa. Árvores e ruas do parque ficam inteiramente iluminadas além de outras atrações, como um labirinto e um trem também iluminados além da queima de cerca de 300 fogos de artifício nos dias 23 a 25 de dezembro.

Local: Showa Kinen Koen (2 min. a pé da Estação Nishi-Tachikawa)
Website: http://www.showakinen-koen.jp/

15. Sagamiko Illumillion – Até 7 de abril de 2019

O Sagamiko Resort Pleasure Forest é considerado o local mais iluminada da região de Kanto. São mais de cinco milhões de lâmpadas LED enfeitando toda a área do parque. O tema deste inverno é o “Palácio dos Cisnes”.

Como chegar: Estação Sagamiko (Chuo line) e pegar um ônibus para Pleasure Forest Mae.
Website: http://www.sagamiko-resort.jp/illumillion/

16. Yomiuriland Jewellumination – Até 17 de fevereiro de 2019

O parque de diversões Yomiuriland está literalmente brilhando por causa das 4 milhões de lâmpadas LEDs que foram produzidas pelo designer Motoko Ishii. A iluminação deste ano adota 7 cores de LED que representam jóias (diamante, rubi, âmbar, topázio, esmeralda, safira, ametista).

Como chegar: Estação Keio Yomiuri Land (Keio line)
Website: http://www.yomiuriland.com/jewellumination/

Postado originalmente em 30 de novembro de 2015.
Última atualização em 23 de novembro de 2018

10 balas tradicionais pra você experimentar no Japão

8 balas japonesas pra você experimentar

Que tal conhecer alguns doces e balas tradicionais japonesas? Essas balas são produzidas há centenas de anos e continuam sendo populares no Japão nos dias de hoje. Muitas delas são ditas por trazer algum benefício para a saúde e além disso, esses doces podem ser grandes itens para serem distribuídos entre parentes e amigos. Confira!

1. Kintaro Ame (金太郎飴)

Kintarō-ame (Kintaro Candy) é um tradicional doce japonês com forma cilíndrica, ainda produzido no Japão e originado durante o período Edo. O doce é inspirado em Kintarō (金太郎), personagem folclórico japonês que pr sua vez é baseado em um homem real, na verdade um guerreiro chamado Sakata Kintoki, que viveu durante o período Heian (794 ~ 1185).

Durante o Kodomo no Hi é costume as famílias decorarem suas casas com um boneco Kintarō na esperança de que os meninos da casa se tornem igualmente corajosos e fortes. Kintaro Ame também é um doce comum nessa época e quando cortado o rosto de Kintaro aparece. Os doces são vendidos em garrafas ou sacolas e podem ser comprados por volta de 500 ienes.

2. Chitose Ame (千歳飴)

Chitose Ame (Chitose Candy) é um doce indispensável no ritual japonês que celebra o Shichi Go San em meados de novembro. Esse ritual é dedicado às crianças que estão completando 7, 5 e 3 anos de idade. Disponível nas cores branca e vermelha, este doce é alongado assim como Kitaro Ame e existe uma crença de que, se você comer o Chitose Ame, terá uma vida longa.

Seu nome significa literalmente “doce de mil anos”). É distribuído em um saco decorado com um grou e uma tartaruga, que são considerados símbolos da longevidade no Japão. Em novembro são facilmente encontrados em Konbinis e custam em média 100 ienes.

3. Tankiri Ame (たんきり飴)

Tankiri Ame (Tankiri Candy) é um doce alongado feito à base de soja, gergelim e gengibre que é cortado em pedaços de 2 cm. Dizem ter um bom efeito em cura da expectoração. Este doce é muito popular em festivais pois acredita-se ajudar a espantar os maus presságios e também pode ser encontrado em supermercados e farmácias por cerca de 100 ienes.

4. Bekkou Ame (べっこう飴)

Bekkou Ame (Bekkou Candy) é um doce de caramelo tradicional muito popular no Japão. Bekko Ame é vendido principalmente em barracas de comida em festival japonês “Matsuri“, mas também pode ser encontrado em supermercados por cerca de 180 ienes.

5. Mizu Ame (水飴)

Mizu Ame (Mizu Candy) pode ser traduzido como “doce de água”. Pode ser comprado em forma de balas ou vendido engarrafado em forma de xarope. O líquido é claro, grosso e pegajoso, similar ao xarope de milho. O Mizu Ame líquido é feito a partir de arroz glutinoso misturado com malte que após o processo enzimático converte o amido em xarope.

Nesse caso, o produto final é chamado de Mugi Mizuame (麦水飴). Outra maneira de se obter o Mizu Ame é partir do amido da batata ou batata-doce misturado com ácidos clorídrico, sulfúrico ou nítrico. O mizuame também costuma ser adicionado ao wagashi para dar brilho.

6. Hakka Ame (ハッカ飴)

Hakka Ame (Hakka Candy) é uma bala tradicional japonesa feito a partir de hortelã-pimenta. Seu sabor é muito refrescante e levemente adocicada. É muito consumido para acalmar a garganta quando se está com tosse ou aliviar sintomas de asma. Hakka Ame é tão popular que existe até uma música chamada “Hakka Candy”, do grupo Kinki Kids.

Se você gosta de balas sabor menta, não deixe de experimentar o Hakka Ame, mas esteja ciente de que o sabor é um pouco diferente das balas de menta ocidentais. Hakka Ame pode ser encontrado facilmente em supermercados e farmácias por cerca de 100 ou 150 ienes.

7. Bee-dama Ame (ビー玉飴)

Bee Dama Ame (Bee Dama Candy) é um doce que se parece com um antigo brinquedo japonês que se assemelha a bolas de vidro. Esse doce é raro de ser encontrado, talvez apenas em alguns Dagashiya, uma loja de varejo que vende brinquedos e doces para crianças.

8. Ume Ame (梅飴)

Ume Ame (Ume Candy) é um doce feito a partir de Ume (ameixa japonesa). Esse doce é muito popular especialmente entre as mulheres japonesas. Seu sabor é doce e picante. Dentro deste doce costuma ter uma pasta de ameixa chamada Nama Ume Ame e um pó de ameixa azeda chamado Koume. Você pode comprar um saco deste doce por cerca de 150 ienes.

9. Kuro Ame (黒飴)

Kuro Ame (Kuro Candy) é um doce preto muito popular especialmente entre os idosos. É feito a base de açúcar mascavo e é conhecido por auxiliar na cura de problemas de garganta. Pode ser encontrado em supermercados e farmácias por cerca de 130 ienes o saco.

10. Shio Ame (塩あめ )

Shio Ame (Shio Candy) é vendido como suplemento de sal para combater a insolação. No entanto Shio ame não é salgado. Existem diferentes sabores que podem ser apreciados, como ameixa, limão e cidra. Você pode comprá-los por cerca de 100 a 300 ienes.

Enfim, esses são alguns exemplos de balas tradicionais japonesas, produzidas há centenas de anos. A maioria delas são encontradas facilmente em supermercados e farmácias a preços bem acessíveis. Já teve oportunidade de experimentar algumas delas? Qual a sua preferida?

Fonte: spinjapan.net

Japão cria plano para reduzir emissão de resíduos plásticos em 25%

Em 2016, o país gerou 8,99 milhões de toneladas de lixo plástico

Tóquio – Os depósitos de lixo do Japão estão lotados de plástico desde que a China decidiu deixar de importar este tipo de resíduo, levando o governo japonês a adotar uma nova legislação para conter o uso excessivo deste material.
O Japão é o segundo maior produtor do mundo de resíduos plásticos per capita, só atrás dos Estados Unidos e até bem pouco tempo quem mais recebia esse lixo era a China. Apesar de contar com um sistema de separação e reciclagem desenvolvido, na prática apenas uma pequena parte do plástico descartado é reutilizada.
Em 2016, o Japão gerou 8,99 milhões de toneladas de lixo plástico, sendo que 1,38 milhão foi exportada para reciclagem ou incineração (80% para a China) e outros 0,69 milhão foram reciclados internamente, de acordo com dados do Instituto Nacional de Gestão do Plástico. Os 6,93 milhões de toneladas restantes receberam elementos químicos, foram incinerados para gerar eletricidade ou descartados em depósitos.
Dados oficiais indicam que pouco mais de 2 milhões de toneladas de resíduos plásticos recolhidos no Japão são reutilizadas de alguma forma, mas organizações como o Greenpeace afirmam que esse número inclui tanto materiais reciclados quanto os que vão para incineradoras e, consequentemente, emitem gases poluentes.
Parte deste lixo vai para o Centro de Reciclagem de Recursos de Minato, um bairro da região metropolitana de Tóquio. De acordo com Yoshinori Aoki, um dos responsáveis pelo local, o espaço é um dos poucos da capital geridos pela prefeitura.
Diariamente, 20 trabalhadores e um sistema altamente automatizado separam toneladas de garrafas, sacolas, caixas de lanche e outros descartáveis para serem prensados em cubos gigantescos e enviados a terceirizadas privadas que se encarregam do processamento.
Plano de redução
O centro é apenas um pequeno elo dentro da cadeia do plástico no Japão. No país, uma em cada quatro prefeituras passou a recolher mais recicláveis do que pode processar desde que a China deixou de comprar o lixo japonês em janeiro deste ano, com base em uma recente pesquisa do Ministério do Meio Ambiente.
Para Kenji Ishihara, do Greenpeace Japão, isso colocou em evidência a “grande dependência” que o país tinha da China na hora de lidar com o seu lixo e a “a carência de uma estratégia efetiva” para conter o uso do plástico.
Foi nesse contexto que o governo elaborou um plano para diminuir em 25% a emissão de resíduos plásticos não recicláveis até 2030, incluindo medidas como promover o uso de materiais biodegradáveis e taxar a distribuição de bolsas descartáveis em todos os estabelecimentos.
Além disso, as autoridades querem propor esta estratégia como um compromisso coletivo na cúpula do G20 que acontecerá em Osaka, em junho do ano que vem, e liderar assim os esforços globais contra a poluição dos oceanos, segundo a minuta do texto, cuja aprovação está prevista para o março.
Organizações ambientais
Para o Greenpeace, o WWF e outras 15 organizações não governamentais focadas na preservação do meio ambiente no Japão, esse é “um plano muito pouco ambicioso” e que “de forma alguma estará na vanguarda mundial” por conta da falta de concretização e por estar atrás de outras medidas que já estão sendo pensadas, como a iniciativa de banir os plásticos de uso único na União Europeia.
Em uma declaração conjunta, estas organizações também alertam sobre o risco de o lixo japonês exportado a destinos alternativos à China, como o Vietnã, ser processado sem respeitar protocolos ambientais ou de terminar despejado ilegalmente a céu aberto, em rios ou em mares.
Consumo
Segundo Ishihara, a proposta deveria ter metas mais exigentes, como a de reduzir pela metade a geração de plástico descartável e eliminar as exportações desse material até 2030, o que só seria possível através de uma legislação mais rígida e com “uma mudança radical na cultura de consumo do Japão”.
Nos últimos anos, o país viu um aumento no volume de resíduos plásticos por conta do uso frequente de embalagens de alimentos frescos e o consumo crescente de comidas preparadas, bebidas engarrafadas ou em copos e bolsas descartáveis.
O setor privado japonês, por sua vez, expressou preocupação com o impacto econômico da nova legislação que contempla expandir uso de materiais biodegradáveis como substitutivos ao plástico, já que eles costumam ser mais caros.
Crédito: Agência Brasil
Foto: iStockphoto

Osaka construirá vila futurística para sediar exposição mundial em 2025

Cidade japonesa espera movimentar até 2 trilhões de ienes durante o evento

Paris – Osaka, a segunda maior metrópole do Japão, vai sediar a World Expo 2025, depois de vencer as cidades de Yekaterinburg, na Rússia, e Baku, no Azerbaijão.
Pela segunda vez a feira internacional será realizada na cidade japonesa, que vai construir uma vila futurística usando tecnologia de ponta.
Membros do Bureau Internacional de Exposições (BIE), em Paris, realizaram uma votação na sexta-feira, depois que representantes das três cidades candidatas fizeram apresentações finais de suas propostas no início do dia.
Os eventos da World Expo, que custam milhões de dólares para serem preparados e duram até seis meses, podem ajudar a impulsionar as cidades-sede com uma movimentação de até 2 trilhões de ienes, atraindo visitantes nacionais e estrangeiros.
Depois que nenhum vencedor claro surgiu na primeira rodada de votação, o segundo turno viu Osaka enfrentar Yekaterinburg, com o Japão garantindo 92 votos contra 61 para a Rússia.
“As pessoas de Osaka-Kansai estão preparadas. Elas estão prontas para receber todos vocês. Vamos nos divertir juntos”, disse Hiroshige Seko, Ministro da Economia, Comércio e Indústria do Japão, durante as apresentações finais.
As feiras, cujos temas visam conscientizar e abordar questões globais, acontecem a cada cinco anos. Milão sediou o evento de 2015 e a próxima feira será realizada em Dubai em 2020. Também há exposições especializadas realizadas entre elas.
Osaka, que sediou a Exposição Mundial de 1970, apresentou o tema “Projetando a futura sociedade para nossas vidas”, destacando áreas como extensão de vida saudável, educação e emprego na era da robótica e da inteligência artificial.
Crédito: Reuters
Foto: Divulgação
Projeto de estrutura para a World Expo 2025

Consulado itinerante em Fuji (Shizuoka) no dia 8 de dezembro

Fichas serão distribuídas até as 13h e os interessados devem verificar documentação com antecedência

Fuji – O Consulado-geral do Brasil em Hamamatsu (Shizuoka) prestará atendimento ao público na cidade de Fuji, na mesma província, no dia 8 de dezembro.
O consulado itinerante será realizado no 5° andar do La Hall Fuji, das 9h às 17h. A distribuição de senhas ocorrerá até as 13h.
Em sua página oficial, o Consulado pediu que os cidadãos interessados em atendimento verifiquem na aba “serviços consulares” do site os documentos que devem ser apresentados para cada tipo de serviço prestado, a fim de facilitar os procedimentos no dia.
No caso de solicitação de novos passaportes, o interessado deverá preencher um formulário online com antecipação. (link abaixo).
No dia do atendimento em Fuji, algumas entidades apoiadoras estarão prestando serviços gratuitos para os brasileiros que necessitarem de atendimento. O Banco do Brasil realizará procedimentos de recebimento das taxas consulares e a empresa de mudanças Suzan auxiliará na cópia dos documentos.
A Brastel disponibilizará aos brasileiros a efetuação de ligações internacionais gratuitas, no caso de emergências referentes aos documentos e a Tunibra estará tirando fotos para passaporte ou documento militar.
Quem for atendido em Fuji também receberá informações úteis disponibilizadas pelo governo da província de Shizuoka, como cuidados e procedimentos para o caso de catástrofes.

Consulado Itinerante em Fuji (Shizuoka)
Data: 8 de dezembro
Horário de atendimento: das 9h às 17h (senhas até as 13h)
Local: La Hall Fuji 5F (〒417-0052 Shizuoka-ken Fuji-shi Chuo-cho 2-7-11)
Mais informações: cg.hamamatsu@itamaraty.gov.br
Site oficial (consultar os documentos necessários na aba ‘serviços consulares’): http://hamamatsu.itamaraty.gov.br
Formulário para a solicitação de passaporte: https://formulario-mre.serpro.gov.br
Crédito: Redação Alternativa
Foto: Reprodução
La Hall Fuji, local do Consulado Itinerante

Abe diz que novos trabalhadores estrangeiros terão salário igual ao dos japoneses

O premiê foi questionado por legisladores da oposição no Parlamento

Tóquio – O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse nesta segunda-feira (26) que os trabalhadores estrangeiros que entrarem no país sob dois novos tipos de visto receberão salários com o mesmo padrão dos japoneses, informou a emissora NHK.
Abe foi questionado por legisladores da oposição no Parlamento, que está discutindo atualmente um projeto do governo que permite a entrada de mais trabalhadores estrangeiros para suprir a falta de mão de obra em 14 setores.
Os parlamentares da oposição perguntaram se os estrangeiros de países economicamente inferiores ao Japão trabalhariam no país ganhando o salário padrão da nação de origem, como ocorre ilegalmente com os estagiários.
Segundo o primeiro-ministro, independente da situação econômica do país de origem, o trabalhador estrangeiro vai ganhar um salário igual ao dos japoneses, sem especificar como será feito o controle entre os empregadores.
O governo pretende criar dois novos status de residência, revisando a Lei de Controle de Imigração e Reconhecimento de Refugiados, para que setores com falta de mão de obra possam contratar mais estrangeiros a partir de abril de 2019.
Sob essa nova medida, o Japão prevê a entrada de mais de 300 mil estrangeiros nos próximos cinco anos.
Os novos vistos de residência incluem um que permite uma estadia de cinco anos, sem poder trazer membros da família, para trabalhadores estrangeiros não qualificados profissionalmente, mas com um grau definido de conhecimento e experiência. A outra categoria é para trabalhadores especializados que permite a renovação de sua permanência com cônjuges e filhos.
Os 14 setores sob consideração para a aceitação de mais trabalhadores estrangeiros incluem cuidados a idosos, limpeza predial, agricultura, pesca, fabricação de alimentos, trabalho em restaurantes, produção de maquinário industrial, construção civil, construção naval, manutenção de automóveis e hotelaria.
Crédito: Redação Alternativa
Foto: Reuters
Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe

Exigência de idioma japonês está dificultando visto para yonsei, diz deputado

Walter Ihoshi encontrou com parlamentares japoneses e relatou as dificuldades enfrentadas na obtenção do visto

Tóquio – Em vigor desde 1º de julho, o tão aguardado visto para a quarta geração parece estar longe do sucesso previsto. Com a imposição de restrições e requisitos, apenas dois vistos foram emitidos até meados de outubro, sendo que o governo japonês esperava receber cerca de 4 mil yonseis por ano.
“Um dos pontos que estão dificultando os yonseis, em minha opinião, é a proficiência do N4 da língua japonesa”, analisou o deputado federal Walter Ihoshi(PSD-SP). “Falo e entendo sobre a cultura japonesa, mas acho que eu não teria condições de passar nesse teste.”
O deputado esteve no Japão na última semana em missão oficial ao lado do prefeito de Marília, Daniel Alonso (PSDB), e do presidente do Nikkey Clube de Marília, Keniti Mizuno, para a assinatura do convênio de cooperação da cidade do centro-oeste paulista com Izumisano (Osaka).
Ihoshi aproveitou a vinda ao país para encontrar-se com o ministro das finanças do Japão, Taro Aso. “O deputado Takeo Kawamura, muito ligado ao Brasil, estava presente e disse que irá pessoalmente acompanhar a situação. Foi uma conversa rápida, mas fiz questão de tocar no assunto”, revelou.
O parlamentar também se reuniu com o diretor-geral do escritório de assuntos da América Latina e Caribe do Ministério das Relações Exteriores do Japão, Takahiro Nakamae, que também acompanha de perto a situação do visto para os yonseis.
“Vejo uma perspectiva de uma análise e de uma flexibilização mais adiante, mas não em curto prazo porque tudo isso mexe com o orçamento”, afirmou Ihoshi. “É importante que a comunidade também acompanhe a situação.”
Em Hamamatsu (Shizuoka), o deputado federal atualizou-se sobre a comunidade brasileira e restabeleceu as demandas da visita anterior, ocorrida em janeiro de 2017.
“No ano passado, uma das solicitações foi a questão do Espaço do Trabalhador Brasileiro. Houve uma mudança nos objetivos, hoje funciona o Espaço do Empreendedor Brasileiro, mas coloquei à disposição para também colaborar e incentivar o empreendedorismo no Japão.”
A educação das crianças brasileiras foi o principal assunto da pauta do encontro com o Conselho de Cidadãos de Hamamatsu.
Um dos problemas apresentados, segundo o deputado, foi a questão do histórico escolar dos estudantes de escolas brasileiras que fecham as portas no Japão.
“As escolas fecham e ficam ali também o histórico escolar, que muitas vezes os pais dos alunos não têm acesso. Há uma série de problemas, inclusive para aqueles que já se formaram e precisam do documento para dar sequência nos estudos”, explicou o deputado, que prometeu levar o assunto ao Ministério da Educação (MEC).
Outra questão que também esteve na pauta foi o acompanhamento das escolas brasileiras pelo MEC. Depois da audiência pública no ano passado, Ihoshi lembrou que levou o assunto ao então ministro da Educação, Mendonça Filho, que enviou duas técnicas para o Japão para realizar as visitas. “Elas vieram, por uma cobrança nossa, mas depois não houve mais um acompanhamento”, lamentou.
Ihoshi, que encerra o mandato em janeiro, planeja elaborar um relatório com o tema educação aos próximos parlamentares para que eles possam colaborar nas relações bilaterais entre Brasil e Japão e tenham o assunto na agenda. “É como se eu pudesse colaborar deixando esse legado para o pessoal que está chegando”, finalizou.
Crédito: Thassia Ohphata/Alternativa
Foto: Thassia Ohphata/Alternativa
No final do mandato, o deputado Walter Ihoshi retomou as demandas da última visita ao Japão

Marília e Izumisano assinam convênio e se tornam cidades-irmãs

Tóquio – 2018 é um ano especial para os descendentes de japoneses no Brasil e também para Marília (SP). A cidade do centro-oeste paulista acaba de ganhar mais uma cidade-irmã no Japão. Após Higashihiroshima (Hiroshima), cujo convênio foi firmado em 1980, agora Marília passa a ter uma relação de irmandade com Izumisano, em Osaka.
“Para nós, o convênio têm uma importância muito grande, é um intercâmbio cultural, esportivo e educacional”, afirmou o prefeito de Marília, Daniel Alonso (PSDB). “Ano que vem, Marília irá completar 90 anos e quando foi fundada, os japoneses já estavam lá. A nossa cidade tem uma influência muito grande da colônia japonesa, que é muito ativa. Hoje, temos cerca de 10 mil descendentes e 2.600 famílias”, acrescentou.
Acompanhado do deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP) e do presidente do Nikkey Clube de Marília, Keniti Mizuno, o prefeito esteve em Izumisano na semana passada para formalizar o convênio de cooperação entre as duas cidades. “Junto com o prefeito – Hiroyasu Chiyomatsu – pavimentamos uma avenida de parcerias, sobretudo na área de esportes e educação”, revelou Alonso.
Durante a visita, foi acertado o convite aos atletas de Marília para a maratona de Izumisano, que será realizada em fevereiro de 2018. “Inclusive, tudo será por conta deles”, adiantou Alonso.
Além disso, a cidade japonesa também ofereceu a pré-temporada aos atletas paraolímpicos de Marília para os Jogos Olímpicos de 2020. “Tivemos um desempenho bom nos últimos tempos, com atletas campeões olímpicos e mundiais. Essa pré-temporada será muito importante para nós”, destacou o prefeito.
Beisebol
Em abril, o vice-prefeito de Izumisano, Yoshihiko Matsushita, participou da Japan Fest, tradicional evento da comunidade japonesa em Marília. Na ocasião, Matsushita convidou uma comitiva para uma visita diplomática à cidade japonesa. O convite foi reforçado pela princesa Mako, em junho, quando esteve na cidade paulista na comemoração dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil.
A irmandade entre Marília e Izumisano começou a se firmar através do beisebol, já que as duas cidades possuem fortes tradições no esporte. “A amizade partiu de um voluntário da JICA que foi ao Brasil como técnico para ensinar crianças carentes no Clube Nikkei. Ele foi o grande fomentador e divulgador de Marília para a prefeitura de Izumisano”, lembrou Alonso.
Desde 1980, a cidade paulista também é irmã de outra cidade japonesa, Higashihiroshima. Entre as principais parcerias formadas entre as duas cidades estão na área de educação. A mais recente ocorreu em 2010, num projeto de intercâmbio cultural entre escolas das duas cidades.
Crédito: Thassia Ohphata/Alternativa
Foto: Cedida
Prefeito de Marília, Daniel Alonso, e o prefeito de Izumisano, Hiroyasu Chiyomatsu, firmam convênio de cidades-irmãs

Japão decide manter auxílio infantil de ¥5 mil para famílias de alta renda

O benefício é concedido aos pais que têm filhos de 0 a 15 anos

Tóquio – O governo japonês decidiu que vai continuar pagando o auxílio infantil (jidou teate / 児童手当) para famílias de alta renda no ano fiscal de 2019, informou a agência de notícias Kyodo na quarta-feira (21).
O Japão tinha a intenção de cortar o benefício para famílias que têm renda acima do limite estabelecido pelo sistema, mas mudou de ideia por causa do aumento do imposto sobre consumo (shouhizei) de 8% para 10% em outubro de 2019.
O governo acredita que o aumento do imposto pode afetar não somente os gastos das famílias de baixa renda, mas também as pessoas que ganham bem.
O auxílio infantil é concedido aos pais que têm filhos de 0 a 15 anos (até o ensino ginasial, ou chuugakkou), e o valor depende do número de crianças e da idade delas. A ajuda varia de ¥10 mil a ¥15 mil por filho.
Um casal com dois filhos, por exemplo, pode receber o benefício se tiver ganho anual inferior a ¥6,98 milhões, segundo a prefeitura de Hamamatsu (Shizuoka). O limite de renda muda de acordo com o número de crianças.
As famílias com renda superior a esse valor ganham ajuda de ¥5 mil por criança. O governo não informou se esse benefício para casais da alta renda vai continuar depois de 2020.
Crédito: Masamichi Maeda/Alternativa
Matéria produzida por Alternativa
Foto: iStockphoto

Black Friday no Japão: lista das lojas para desfrutar dos descontos

A tradição comercial norte-americana começou timidamente em 2016 no Japão. Este ano várias empresas aderiram. Veja a lista.

Com o propósito de esquentar as vendas de Natal, algumas das grandes redes do Japão adotaram essa tradição comercial norte-americana. Este ano o Black Friday acontece entre sexta-feira, feriado, a domingo – 23 a 25 – e é uma oportunidade para fazer compras do que já estava na lista.

No país do Tio Sam tem muita gente que falta ao trabalho para entrar na imensa fila e aproveitar a oportunidade. Mas não é o caso no Japão.

As redes de lojas físicas seguem abaixo. Certamente tem algumas da sua preferência, de alimentícios a calçados, de roupas a eletrodomésticos.

A Muji não consta da lista mas está realizando a semana de agradecimento, com 10% de desconto.

  • Aeon
  • Aeon Mall
  • Ito-Yokado
  • Apita
  • Costco
  • Uniqlo: é campanha de gratidão pelo aniversário, de 22 a 26
  • Shimamura
  • Right-on
  • GAP
  • H&M
  • Forever 21
  • Haruyama
  • ABC Mart
  • Crocs
  • Kutsu Ryutsu Center (grupo Chiyoda)
  • Toys R Us
  • Namco
  • Nojima
  • Kaldi

Para quem não gosta de ficar na fila da loja ou simplesmente prefere compras online, veja a lista. Tem até companhias aéreas na promoção.

  • Amazon, em breve Cyber Monday
  • Rakuten, de 23 a 26
  • Rakuten Rebates, com marcas famosas, de 23 a 26
  • Google Store do Japão (a partir de quinta-feira)
  • Zozotown
  • Qoo 10
  • Buyma
  • Nike
  • Adidas
  • Reebok
  • Honeys
  • Cox
  • World
  • Expedia
  • Peach
  • Air Asia
  • Manfrotto
  • Expansys
  • Gear Best
Matéria produzida por Portal Mie
Fontes: divulgação e Nomad Saving